[Resenha] Brasil cyberpunk 2115 #2 – Recall

Obra:Brasil Cyberpunk 2115 #2 – Recall

Autor: Rodrigo Assis Mesquita

Editora: publicação independente

Gênero: cyberpunk

Sinopse:

As pessoas recebem um chip de identidade ao nascer. Em 2115, uma corporação lança androides indistinguíveis de humanos. O Governo contra-ataca e adota um recall para monitorar os cidadãos. “Sem chip, sem direitos”. Hel, em dúvida da sua humanidade, envolve-se em uma conspiração que pode resultar na mudança de política ou na própria morte.

recall
Vejam só outra capa linda da Gaby Firmo ❤

Este livro é o segundo volume da série Brasil cyberpunk, do Rodrigo de Assis Mesquita. Leia a resenha da primeira novela da saga aqui.

Bem, como está dito aí na sinopse, a trama começa quando o governo lança a campanha de recall, já que agora há androides muito parecidos com humanos, e esta é uma maneira de diferenciar os dois. A primeira observação que faço aqui é essa inversão de valores no texto. Na história, quem tem os chips são os humanos e não os androides. Na verdade, vai mais além. Graças aos amelhoramentos os humanos do universo de Brasil cyberpunk é que parecem ser os seres artificiais. Achei muito boa essa brincadeira de conceitos que o Rodrigo fez. A obra, de fato, é está cheia de críticas inteligente e bem-humoradas à nossa sociedade atual.

Agora, mais do que nunca, sinto um cheiro meio Blade Runner no texto do Rodrigo. A discussão é quase a mesma, ou seja, os androides não são humanos, e portanto são tratados como meras ferramentas. Mas Brasil cyberpunk vai além, porque também trata de política, de uma maneira leve e bem atual, pontuada com um humor ácido que cai bem. O livro, aliás, tem um tom mais dark que o anterior. (Mas a piada do Keith Richards imortal é muito boa).

A ação acontece muito rápido, e a leitura flui bem, nunca ficando cansativa. O fato de a história ser curta também colabora com isso. Os diálogos são dinâmicos e realistas, feitos com linguagem bem coloquial mesmo, e isso ajuda na identificação.

Com mais páginas para contar sua história, o autor pode agora desenvolver melhor os seus personagens, meramente tocados na novela anterior. Foi muito bom saber mais da vida da protagonista Hel e conhecer mais do seu passado misterioso. Outros personagens como Lobo e Fabi também tiveram suas vidas mais expostas. Achei, porém, que o Cauã acabou ficando meio de lado, embora seu papel na história seja muito relevante. Gostaria de aproveitar e elogiar as personagens femininas, que estão bem escritas e não são apenas meras coadjuvantes na trama.

A trama em si é muito boa, e o autor soube construir o mistério e levá-lo até o final. Como eu já mencionei, a história tem um apelo muito atual, colocando intrigas políticas e revoltas populares no meio do drama da Hel. Drama, aliás, que casa bem com o mistério envolvendo a personagem.

Gostei também do worldbuild, que foi melhor explorado nesse texto. É futurista sim, mas é algo que beira o non-sense, em alguns momentos lembrando o estilo do Douglas Adams. Tudo em prol do humor satírico. Mas eu noto, porém, que há um pequeno desbalanceamento de tom no livro. Ele tenta manter o humor do primeiro livro, mas, ao mesmo tempo, tenta ser mais dark, abordando temas sérios. Isso pode causar certa estranheza, mas nada que atrapalhe a experiência literária.

Veredito final: recomendo para aqueles que querem ler uma boa história non-sense e atual, ao som Wild Horses.

Anúncios

Um comentário sobre “[Resenha] Brasil cyberpunk 2115 #2 – Recall

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s