21 coisas que aprendi fazendo Matemática

Hoje, 6 de Maio, o Brasil comemora o Dia do Matemático, em homenagem ao professor Júlio César de Mello e Sousa, também conhecido por seu pseudônimo Malba Tahan. O professor Júlio César dedicou sua vida ao ensino e divulgação da Matemática no Brasil, e publicou diversos livros que abordam o tema de maneira lúdica, como o famoso O homem que calculava.

 

malba tahan
Professor Júlio César de Mello e Sousa, aka, Malba Tahan

Assim, para comemorar a data, eu elaborei uma lista de 21 coisas que aprendi ao longo desses anos cursando Matemática. É uma postagem antiga, na verdade, datada de 2012, mas continua atual.

1 – O resultado da expressão 1+1 depende muito da álgebra na qual se está trabalhando.
2 – Não importa o quão foda sejam as coisas que você sabe, sempre haverá algo ainda mais foda que você não sabe.
3 – Você jamais conseguirá pentear uma bola cabeluda de maneira satisfatória.
5 – Não interessa o quão grande seja um infinito, certamente existe um infinito ainda maior.
6 – Trivialidade é algo relativo.
7 – Discussões matemática podem ser bem acaloradas. E totalmente ininteligíveis para os leigos.
8 – Quando você estiver cansado de criar teorias altamente abstratas que só você entende, fuja para as montanhas.

 

Grothendieck-460x300
O matemático Alexander Grothendieck, pouco antes de fugir para as montanhas

9 – Às vezes é impossível expressar seus pensamentos abstratos em palavras concretas.
10 – Retas que se encontram no infinito não é apenas licença poética se você está no plano projetivo.
11 – A maioria das demonstrações certamente não caberá numa margem de uma folha. Muitas sequer caberão na folha inteira.
12 – O grande problema do amor é que ele não é uma relação simétrica.
13 – A diferença entre uma xícara de café e uma rosquinha é meramente psicológica.
14 – Quando você acha que tudo está muito estranho, vem alguém e te mostra que pode ficar ainda mais estranho.
15 – Nem tudo que está de acordo com o senso comum é verdade. E nem toda verdade precisa fazer algum sentido.
16 – Jamais esqueça a constante na integral indefinida, pois o mundo é injusto.
17 – Você não necessariamente entende tudo que está fazendo.
18 – As coisas que você sabe constituem um conjunto de medida nula.
19 – Sem perda de generalidade, você pode supor que todo matemático é doido.
20 – Sentir-se confuso ou com a impressão de que algo não faz sentido é absolutamente normal.
21 – Apesar do seu esforço de tentar parecer normal perante a sociedade algum dia você vai se pegar resolvendo um problema por telefone. Ou pelo Facebook e/ou MSN. Ou enquanto tenta dormir. Ou tomando banho. Ou parado no meio da chuva olhando para cima com cara de lunático. E achará isso absolutamente normal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s