Oscar literário 2017: premiados

Ladies and gentlemen, the Oscar goes to…

Enfim, é chegada a hora de revelarmos os vencedores dessa segunda edição do Oscar Literário aqui no blog. Lembrando que isso é uma tag criada pelo blog Sem Serifa, confiram a tag deles também. Se ainda não viu, confiram a lista com os indicados. E semana passada entrevistamos todos os cinco autores nacionais indicados. Procurem as entrevistas no blog, então bem legais 🙂

E agora, sem mais delongas, eis os grandes vencedores da noite. Continuar lendo

Anúncios

[TAG] Oscar Literário 2017: indicados

Ano passado rolou aqui no blog o Oscar Literário. É uma tag muito legal que vi primeiro no blog Sem Serifa, mas que muitos outros blogs já participaram. A ideia é homenagear os livros lidos ano passado e escolhermos as melhores leituras através de um concurso estilo Oscar.

As regras são:

– Fazer entre 3 e 5 indicações em cada categoria;

– Indicar apenas livros que você leu no ano passado;

– Criar um post para as indicações e, depois de algum tempo (de preferência, na semana do Oscar), um post para a premiação.

Vi pela blogosfera muita gente fazendo a tag, mas não necessariamente a criada pelo Sem Serifa. Até as categorias eram diferentes. Aqui também tomei a liberdade de alterar algumas categorias.

Mas enfim, sem mais delongas, eis os indicados:

Melhor livro estrangeiro

Androides sonham com ovelhas elétricas? (Philip K. Dick)

O oceano no fim do caminho (Neil Gaiman)

A mão esquerda da escuridão (Ursula K. Le Guin)

A menina submersa: Memórias (Caitlín R. Kiernan)

A viagem ao centro da terra (Julio Verne) Continuar lendo

12 livros para 2017

Olá, pessoal! Este é provavelmente a última postagem do ano, e como tal, gostaria de fazer algo especial. Vi muita gente por aí em blogs e vlogs fazendo listas de leituras para o ano que entra. Resolvi aderir à brincadeira. E vou responder a uma tag específica, qual seja, um livro para cada mês.

Bem, a lista segue logo abaixo. Antes, algumas observações: não necessariamente eu vou cumprir essa meta, mas acho que vai dar. Estou prevendo um ano mais calmo, agora que passei nos exames de doutorado e estou prestes a terminar de escrever meu livro. Segundo, não necessariamente eu lerei na ordem apresentada, porque, sabe como é, às vezes a gente quer simplesmente passar um livro na frente. Terceiro, estes não são os únicos que pretendo ler ano que vem, mas falemos disso no final. Quarto: todos estes são livros que eu já comprei e estou devendo ler. Quinto: sim, a lista tem muitos livros de fantasia\ficção científica, talvez pelo ponto quatro. Mas também porque, como autor de fantasia, esse é o tipo de livro que devo focar, pelo menos por enquanto. Mas tentei diversificar o máximo que pude. E tentei intercalar livros nacionais e estrangeiros.

Obs.: Não farei lista de melhores ou piores do ano. Não agora. Para isso, existe a tag Oscar Literário. Ou seja, em fevereiro teremos esta lista. Confira como foi a tag este ano aqui.

Sem mais delongas, eis a lista: Continuar lendo

As crônicas de Erys – capítulo 3

Olá, pessoal! Hoje eu trago mais um capítulo da história que estou escrevendo. Espero que gostem 🙂

Outros capítulos:

Prólogo

Capítulo 1

Capítulo 2

 


Capítulo 3 – A garota da tatuagem de serpente

O mercado estava apinado de gente. Aquele ar pesado fedido a suor e comida azeda impregnava nas narinas de Arisha. Era tanto gente que ela se sentia sufocada, apertada. Apenas mais um no meio daquele mar de pessoas. Parou em uma barraca qualquer e comprou algumas frutas. Comeu uma delas ali mesmo e seguiu seu caminho.

Atravessou todo o mercado, passando por todas as barracas. No fim da rua, havia um mendigo. Era um sujeito imundo, a barba grande e os cabelos desgrenhados. Moscas voavam ao redor dele, e o fedor que exalava era forte. Arisha desviou do caminho, indo para o outro lado da rua. Parou.

Maldição! Eu e meu coração mole!

Voltou, mas quase desistiu quando aquele odor subiu como um bafo de dragão. O indigente parecia dormir, mas quando ela chegou perto, ele ergueu a cabeça. Seu olho esquerdo era branco e cego, mas o direito era de maravilhoso tom esverdeado. Arisha colocou a sacola com as frutas na frente do homem e disse:

— Tome, é seu. Para matar sua fome.

O sujeito tossiu.

— Que outros como eu encontrem outras como você, moça. Obrigado, muito obrigado.

Ela sorriu sem jeito, levantou-se e seguiu o caminho até seu destino.

***

Quando entrou entrou no bordel, sentiu todos os olhares masculinos, sedentos e desejosos, sobre ela. O thy do ambiente era pesado, ácido, luxurioso. A sala principal cheirava a sexo e a bebida de segunda qualidade que era servida no bar.

Maldição, Inbert! Não poderia ter escolhido um local mais apropriado para esconderijo? Continuar lendo

[Newsletter] #01 – Watchmen, Hunter x Hunter e o último teorema de Fermat

Olá, pessoal! Esta última semana foi bem tensa para mim, devido a duas listas que tinha que entregar (para quem não sabe, eu faço doutorado em matemática). Na verdade, creio que este semestre inteiro será difícil (até mesmo minhas leituras estão comprometidas, o que significa menos resenhas).

Pensado em um meio de não deixar o blog morrer e inspirado nas versões do Rodrigo e do Thiago, resolvi criar minha própria newsletter. Ou pelo menos, algo similar a uma. Tentarei fazer postagens semanais com pequenos textos curtos (ou não) sobre assuntos diversos. A ideia é seguir a filosofia do blog, ou seja, falar sobre quase tudo, especialmente cultura pop (e matemática).

Essa postagem funcionará mais como uma versão beta da coisa. Diferentemente das versões de meus colegas escritores e blogueiros, não irei pedir para se inscreverem na minha newsletter, nem pedirei seu e-mail ou algo do gênero. A princípio. Com o tempo, observando o andar da carruagem, veremos isso. Continuar lendo